4 dicas para a sua empresa em 2021

O universo da comunicação é rico. Potencializa várias áreas. Causa desdobramentos sociais, culturais, econômicos.


No entanto, o sistema tende a separar. Acredita no papel da assessoria produzindo releases, enviando à imprensa e medindo os resultados. Pensa no marketing como o que vai converter publicações em venda e aumentar o faturamento. Entende outro determinado setor, como eventos, como o organizador/participante de eventos e ações. Ok. Organização e hierarquia são importantes, mas o fluxo de pensamento que emana de todos os colaboradores de 1 local precisa conversar e ser canalizado para o mesmo fim: o crescimento da empresa, a experiência encantadora ao cliente e o desenvolvimento humano.


Na comunicação (e demais segmentos), não raro, as pessoas querem copiar receitas. O que dá bons resultados em uma organização, pode não ser bem aceito em outra, ou pelo seu modelo de negócio, ou por que o público é diferente, ou por que faltam recursos mesmo, para a execução do processo/produto. Em um mercado ávido por tendências, pelo que vende, o bom senso e a flexibilidade devem prevalecer, ou seja, estejamos atentos ao mundo, mas sem tapar os olhos para a realidade onde estamos inseridos, a missão que temos, elementos naturais da nossa história, peculiaridades que nos diferem.


Acredito que todos gostaríamos de uma comunicação bem autêntica, que seja humana, diferente, talvez encantadora. Não existe segredo. Existe o fazer. Ir tentando, experimentando e logicamente, cuidando os aspectos essenciais, que precisam ser o norte para qualquer negócio.


Separei 4 reflexões sobre isso:


1- Você existe. E você conta?


Faz dois anos que atendemos neste endereço;

Chegou no salão, o esmalte do momento!;

Lançamos promoção na loja física;

Já formamos mais de mil alunos.


Quantas notícias poderiam ser produzidas todos os dias? Quantas publicações nas redes sociais podem ser feitas? Quanta conversão podemos gerar? Você se deu conta de que você existe e já trouxe transformações para a vida das pessoas? E você conta isso?


Luiza Trajano, uma das empresárias mais reconhecidas do Brasil, em entrevista à Baruco Comunicação, disse: “é difícil pra mim entender como é que não comunica que você existe”. Os meios de comunicação modernizaram-se com poderosos recursos tecnológicos e mercadológicos, mas a essência é a mesma, por isso, sempre insisto no fato de lapidar a informação, de forma que ela se encaixe nas características de cada meio.


2- Comunicação interna também é importante


Não há como crescer, sem primeiro arrumar a casa. Ter todos os funcionários caminhando juntos. Os gestores devem se colocar no lugar do outro. “Tentar” entender seu mundo, seus momentos difíceis, seus momentos alegres. A empatia não nasce de um comunicado da empresa, não vai para regimento. Ela vem de nós, todo dia.


Pessoas também precisam aprender a não comparar. Não comparar funcionários, setores, seres humanos. “Classificar e julgar as pessoas estimula a violência” (Rosenberg, 2006, p. 40). É um tipo de pensamento que bloqueia a compaixão, tanto por si próprios quanto pelos outros, diz o autor. A excelência na atuação deve ser cobrada, mas respeitando cada um com seu jeito único de ser.


Assim, a comunicação interna é muito importante neste processo. Deve buscar a transparência e a horizontalidade. Não falar para, falar com. Não dizer como fazer, mas sim, como podemos fazer?


Com os desdobramentos positivos deste convívio e engajamento, o resultado financeiro positivo será consequência.


3- Não fale sobre, fale para


Querer falar sobre alguma coisa, sobre alguém. Ok, é magnífico conhecermos histórias, fatos, instituições, produtos. Sigamos fazendo isso, mas não somente isso.


Precisamos também falar para! Por que será produtivo uma mulher adquirir um creme de massagem? Por que a criança precisa de aula de inglês? Quais são os melhores exercícios físicos para você que tem problema de coluna? O falar para alguém ajuda uma pessoa a decidir, experienciar, conhecer, se informar.


Não precisamos falar do shampoo de babosa e dos seus benefícios e valores. Podemos abordar as vantagens da babosa para a saúde. Para que falar das disciplinas do curso de enfermagem, se podemos mostrar como os profissionais estão sendo essenciais no enfrentamento à pandemia?


4- Os tempos mudaram e a comunicação também, mas o atendimento... ah, o atendimento!


Preocupe-se com sua marca, sua imagem no mercado, seu nicho, sua capacidade de inovação, preocupe-se com tudo o que chega até você. Agora, não esqueça que uma coisa jamais vai mudar e é o ponto-chave no sucesso de qualquer empresa: o atendimento.


Seja físico, seja digital. Você terá que atender quem chega no seu balcão e quem o chama pelo meio digital. O consumidor pode ser diferente (por faixa etária, localidade, nível de instrução etc.), mas o sentimento dele é o mesmo: quer conseguir a resposta para sua pergunta, quer ser bem tratado, quer ser ouvido, quer que você entenda a sua realidade. Você sabe que escutará várias histórias, vai se alegrar com muitas, se entristecer com outras, mas é a sua capacidade de estar ali, quando muitos não estiveram, que vai te tornar inesquecível.






19 visualizações0 comentário