A ‘nova’ assessoria de imprensa

Em tempos de renovação, experimentação e criatividade, precisamos pensar sobre a nova era da Assessoria de Imprensa. Não faltam cursos ou gurus para aconselhar sobre uma única verdade: a Assessoria de Imprensa sofreu mudanças radicais, como toda a área do Jornalismo, impactada pela evolução veloz das tecnologias digitais e pelo crescimento catastrófico das fake news, que fazem com que profissionais da área precisem dedicar parte de suas rotinas para desmentir, explicar, checar fatos.


Lanço luz sobre este assunto não com o intuito de dizer faça assim, faça assado, bem pelo contrário, temos regras e técnicas, mas jamais receitas prontas, pois precisamos entender cada cliente em sua verdade, essência, vontade, necessidade.


Vamos a algumas mudanças, dicas e percepções:


- Os espaços na mídia mudaram. Em um plano de marketing, por exemplo, já não dispensamos o mesmo espaço para mídias tradicionais.

- Antes generalistas, hoje, assessores têm filões no mercado para empreender, especialmente em cidades de portes médio e grande. Temos assessores de imprensa voltados à gastronomia, esportes, cultura, por exemplo.

- A área de formação é super importante, mas não podemos ficar presos a ela. Estudar e acompanhar cenários faz-se necessário.

- Hoje 1 assessor de imprensa trabalha toda a comunicação do negócio, desde procedimentos básicos, como noticiar alguma coisa, até a criação de campanhas de divulgação de algum produto ou serviço. E é neste contexto que precisamos ter muito claro o propósito do nosso negócio: meu trabalho oferece quais serviços?; serve a quem?; como posso ajudar meu cliente?

- Nossa vida pode ser uma fusão de experiências: tem uma boa base no analógico? Traz essa experiência pro mundo digital (mesmo que ‘neste mundo’ existam outras formas ‘de se fazer’, a essência da comunicação em assessoria é a mesma).

- Personalize seu trabalho, pois o que é bom para 1 cliente pode não ser para outro. Da mesma forma, no empreendedorismo, o que deu certo para 1 empreendedor pode não dar para você. Tenha calma, resiliência, disciplina, foco e valorize o networking.

- A linguagem em assessoria está sofrendo ressignificações. A meu ver, temos uma fusão da linguagem jornalística com a publicitária. Em alguns conteúdos, prevalecendo a jornalística, em outros, a publicitária, mas o fato é que hoje precisamos conversar com os internautas, falar ‘com ele’ e não para ele e chamar essas pessoas para ‘ações’.

- O assessor de imprensa que apenas redige matérias, faz clipagem, envia releases e mantém aquele canal estreito com os veículos de Imprensa, ficou para trás. É hora de inovação, são novos tempos. Às vezes, eles assustam e cansam, mas não tem mais volta!


Qual a principal mudança na sua área? Você já parou para pensar nisso? Está conseguindo acompanhar?






27 visualizações0 comentário