Produção de conteúdo: do que não abrir mão em 2022?

O que engaja? O que viraliza? O que vende? O que fideliza? Em busca dessas respostas, muitos empresários, influenciadores, agências, profissionais de marketing e empreendedores produzem conteúdos diariamente, pois estamos em uma era imediatista em que arregaçamos as mangas e testamos, experimentamos, sentimos!


Além do marketing de conteúdo, existem valores e habilidades importantes que devem se fazer presentes nas empresas, pois sem eles, não há sentido todo um trabalho comunicacional.


Do que não podemos abrir mão e que valores e habilidades devem prevalecer em 2022?


Conteúdos autorais


Fotos autorais, bem como, textos criativos e bem escritos (estilo 'depoimento') despontam como elementos que fazem a diferença no feed das redes. As pessoas identificam-se com o cotidiano, com viagens, com experiências pessoais, com palavras que acolhem, com imagens singulares. Siga apostando em 'ser você mesmo', com delicadeza, estilo e verdade.


Empresas com foco no cliente


Empresas devem relacionar-se bem com acionistas, fornecedores, parceiros e público interno, mas ter no topo de suas prioridades o cliente. As empresas de sucesso colocam o cliente em primeiro lugar e os demais públicos acabam ganhando com isso! Para atingir esse objetivo deve existir uma política institucional voltada à excelência no atendimento, relacionamento, pós-venda, preço, produto etc.


O empreendedor pode falar sobre a área

A voz do empreendedor


É claro que o empreendedor utiliza muito as redes sociais para dar voz a sua marca, porém, em um momento de mudanças políticas, sociais e econômicas, empreendedores e profissionais da área de comunicação/marketing, também podem utilizar-se da mídia para apontar caminhos, problematizar situações, propor debates e comemorar os feitos positivos.


Marketing para reter


Além de atrair, reter. E como se faz isso via redes sociais e meios analógicos? Divulgando notícias da empresa (de utilidade pública, especialmente) e gerando conteúdo de valor para o público. Fale menos da empresa e fale mais com as pessoas, de forma a ajudá-las. Conteúdos com dicas, vídeos, tutoriais e respostas de dúvidas, continuam em alta, pois sempre tem aquele cliente que precisará ler o que você preparou. Se, por exemplo, você faz academia e está com uma dúvida sobre retenção de líquido, que maravilha receber uma orientação nesse sentido, não acha?


Continue dedicado a conhecer seu público


Se procurarmos fazer uma comunicação para todo mundo, poderemos não estar comunicando para ninguém. Até segmentos que possuem público mais amplo, como um supermercado, precisam conhecer o público, construir a persona e criar conteúdos relevantes para ela. Se isso não está bem definido, em 2022, você pode melhorar esse aspecto. As métricas das redes podem auxiliar, as interações obtidas nos conteúdos, as enquetes, as pesquisas e, até mesmo, o próprio proprietário do estabelecimento.


Depoimentos


Continuam sempre válidos, pois trazem relevância e validam a marca para o público. Podem ser explorados, principalmente, em forma de cards (com a foto da pessoa e o depoimento) ou vídeos.


Homenagens


Algumas datas comemorativas absorvem homenagens, como o aniversário da empresa, o aniversário do município, o dia do profissional que predomina no negócio etc. Ainda, diante do público interno, homenagens são sempre bem-vindas: ao funcionário mais antigo, ao colega que vai aposentar-se, ao colaborador que terminou a graduação etc.. São formas de valorizar pessoas, estimular e reconhecer esforços, e isso sempre será tendência, nunca fica ultrapassado.


Dados e avaliações


Mesmo que a rotina seja corrida, por vezes, é necessário fazer uma parada para analisar dados que as redes nos apresentam, bem como, receber com atenção a avaliação dos usuários/seguidores. Outra dica fundamental é estar ligado nos recados que chegam via direct, comentários em postagens etc.


Integrar a comunicação cada vez mais


Comunicação integrada é a possibilidade de estar presente em vários canais, pelos mais variados formatos de conteúdos, falando em linguagens diversas, ou seja, em tom mais institucional ou mais mercadológico, por exemplo. A ordem é integrar, 'atacar' em todas as frentes: uma mesma informação pode ganhar um post na rede social, ser enviada para a rede colaborativa por e-mail, virar spot no rádio e chegar ao whatsapp de um grupo.


Posts patrocinados


Engajar com alcance orgânico é sempre bom, mas não se deve abrir mão de posts patrocinados em períodos necessários, como de uma campanha. Não se deve esquecer de personalizar o público!


Bom senso


Ele não faz mal a ninguém não é? Bom senso é adaptar os conteúdos diante de mudanças, aceitar os imprevistos e ser flexível diante deles, analisar fotos e textos antes de publicá-los, filtrar feedbacks visando ao aprendizado e dialogar com o assessorado para encontrar o melhor caminho diante da ocorrência de situações adversas.


Criatividade


Uma habilidade na era da economia criativa, a criatividade desponta como o elemento que propicia gerarmos algo de diferente em um produto ou processo. Deve ser estimulada nos ambientes de trabalho e nós, enquanto seres criativos que somos, podemos nos tornarmos mais criativos inspirando-se em fatos do dia a dia, lendo, consumindo filmes, viajando etc.


Empatia/ética


Especialmente com a pandemia, a empatia passou a ser mais cobrada por todos. Colocar-se no lugar do outro! E isso também é crucial nos cenários de marketing e comunicação. Não forçar a barra para uma entrevista, não publicar algo contra a dignidade de alguém, não promover o sensacionalismo, trabalhar contra as fake news, responder com carinho e tentar ajudar o usuário/seguidor que nos procura, atender o cliente na loja física da melhor maneira possível. Todos têm problemas e dores para resolver em determinados momentos, precisamos ajudar com discrição, ética e afeto.


As pessoas não são exatas e se a produção de conteúdo busca agradar e atingir, que seja de forma criativa, leve, correta... se viralizar ou não, isso não passa de consequência!



15 visualizações0 comentário