No meio do caminho, 1 vestibular

2020 já está consolidado como o ano mais desafiador de todos. Nossas rotinas mudaram e até agora, entrando em novembro, não conseguimos falar de futuro. Casos de COVID que aumentam, eleições municipais a mil, dúvidas pairando no ar quanto ao que vem pela frente e, em paralelo a isso, a nossa vida, que, precisa seguir.


Na assessoria de imprensa da URI, este ano, compreendemos que precisamos muito de planejamento, mas que diante do contexto, tem sido melhor pensar em estratégias e viver um dia após o outro. Como fica um processo seletivo para 2021 em meio a tudo isso? Ora, é momento de abraçá-lo e agarrar esta oportunidade para fazer diferente, não tem como ser igual a outros anos.

Projetos de aproximação com estudantes foram remodelados, de forma que o virtual ganhou mais importância; estratégias de marketing digital foram criadas/intensificadas para chegar ao público-alvo; o marketing de conteúdo cuidou e cuida de levar até as pessoas tudo o que pode ser útil para suas vidas e seu dia a dia; todos os envolvidos no processo, tiveram (e têm) seus meios para adaptarem-se a uma rotina de vestibular apesar de não enxergar os alunos por perto e mesmo sem saber, ao certo, como será o desenrolar deste ano e como o 2021 se apresentará.


O destaque que faço é quanto a Feira das Profissões online, uma ideia que nasceu a partir da coordenação do vestibular, junto de uma professora, e que mostrou uma URI inovadora, criativa, pujante e afetiva, sempre pronta a receber as pessoas de um jeito acolhedor. A feira, que ocorreu de 27 a 30 de outubro, mostrou um universo de conhecimento, possibilidades, carreiras, crescimento e o amor dos acadêmicos pelos cursos que escolheram.


No meio do caminho, temos um vestibular. Mesmo trabalhando muito, ele nos faz parar um pouco, refletir, concentrar esforços, propicia união e aprendizado. Ou seja, tendo um vestibular, o caminho fica muito melhor. Através dele, a gente enxerga o brilho no olho de quem quer estudar, a gente vê o novo. Novos alunos, novos sonhos, novas energias. E, em uma universidade, quando sonhos novos unem-se com os já existentes, o resultado só pode ser conhecimento, novas práticas, mais discussões e muita alegria!


A tendência é que os vestibulares sejam substituídos por outras formas de ingresso e que isso perdure nos 365 dias. Aí é que está: com isso, evidencia-se que o vestibular é o ano todo e que mesmo que a palavra ‘vestibular’ perca força, ela nunca perderá seu significado. Ele representa ingresso e as pessoas precisam ingressar, cada vez mais, no caminho do conhecimento, precisam participar de uma educação ativa, que muda vidas.



15 visualizações0 comentário